Eu e a Alopécia

Quando era miúda era o pesadelo de qualquer cabeleireira. Tinha um cabelo comprido e super super grosso. E orgulhava-me imenso disso. Um dia apanhei piolhos, devia ter uns sete ou oito anos e a minha mãe, depois de doses industriais de “Quitoso”, viu-se obrigada a cortar-me o cabelo “à garçon”. Chorei durante horas. Mas o more »