Lipa Rima Com Pipa

|by Ana Vougo

A vida não tem “replay”. Aproveita cada momento.

Ver, ou saber, que as pessoas que eu amo não estão bem é uma coisa que me incomoda profundamente.

Mexe comigo.

Não consigo estar bem se quem eu amo não está bem.

Não consigo simplesmente “desligar” e continuar.

E, infelizmente, este está a ser um ano em que todos os dias alguém de quem eu gosto está triste. Não está bem. Não está feliz.

Ou porque tem um emprego que não lhe satisfaz, que não consegue suportar, do qual está farto. Quer recomeçar e não consegue.

Ou porque está desempregado e esta é uma situação que se arrasta há imenso tempo… e o desespero aumenta a cada adormecer e a cada acordar.

Porque não sabem lidar com a dor. Porque o “está tudo bem” já não convence ninguém e o sofrimento vê-se ao longe.

Porque o orgulho impede de pedir ou aceitar ajuda. Porque se acham “mais do que isso”.

Porque a saúde lhes foge. E porque de facto, a saúde é tudo o que temos. O nosso maior bem. E tantas vezes nos marimbamos para ela quando sem ela nada somos. Nada fazemos. Nada temos.

Porque um relacionamento não corre bem. Porque as discussões não param. Porque não se consegue descobrir se o amor acabou ou ainda há ali qualquer coisa pela qual lutar.

Porque a dúvida é dos piores sentimentos do mundo.

Porque se quer responder “à vontade” e ao invés andam a engolir “sapos” há dias, semanas, meses, anos.

Porque não conseguem respirar. Porque o ar parece que falta ao mesmo ritmo que os problemas surgem.

Porque (e este é o mal geral) o dinheiro escasseia. Porque é preciso dinheiro e este não nasce das árvores. Porque há que pagar as contas e o final do mês aproxima-se a passos largos e o dinheiro nunca chega.

Porque se está farto da rotina. Porque já não se aguenta a mesma rotina de sempre. Os mesmos horários. As mesmas caras nos transportes públicos. Já não se aguenta mais do mesmo: trabalho-casa-casa-trabalho.

Porque se está cansado de viver à espera da sexta-feira e quando o fim-de-semana chega passa tão depressa que mal se dá por ele. E enquanto isso a vida passa.

Porque ver a vida passar e ser-se apenas espetador é insuportável.

A vida passa rápido. Não espera por nós. Não acompanha o nosso ritmo. E porque o tempo não parando faz-nos perder tanta coisa…

Porque a ansiedade não nos larga. Porque os olhos se enchem de lágrimas do nada.

Porque respirar dói. Porque continuar custa. Porque seguir em frente (que dizem, é o único caminho e a única opção) nos deixa imóveis.

Porque querer ficar quieto dentro da nossa “bolha” é tão mais fácil e menos difícil. Tão impossível.

Porque lutar custa.

Porque viver e sobreviver custa.

Porque amanhã é mais um dia e porque vai parecer (e ser) só mais um dia.

Estou cansada de ver isto acontecer. Estou cansada de que as minhas palavras não aliviem o sofrimento de quem amo.

Estou cansada de me sentir impotente ao ver o sofrimento dos meus.

Os meus são meus, ora bolas! São parte de mim, fazem parte da minha vida. E a minha história não se faz sozinha e precisa de cada um deles.

Quero que saibam que estou aqui para os meus. Porque os amo.

Porque um dia alguém me disse que tudo passa, e é bem verdade.

Hoje digo-te, a ti que és meu, que tudo passa. Vai passar e eu estou aqui para ti.

Sempre.

Força.

Tu és forte.

Lembra-te do que te disse. Tudo passa.

 

23 Maio, 2016

[vc_column][vc_facebook][/vc_column]

2 thoughts on “A vida não tem “replay”. Aproveita cada momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com