Eu e a Alopécia

Quando era miúda era o pesadelo de qualquer cabeleireira. Tinha um cabelo comprido e super super grosso. E orgulhava-me imenso disso. Um dia apanhei piolhos, devia ter uns sete ou oito anos e a minha mãe, depois de doses industriais de “Quitoso”, viu-se obrigada a cortar-me o cabelo “à garçon”. Chorei durante horas. Mas o more »

Share

  Ao que parece há muita gente que se pergunta sobre os meus gostos, os meus vícios, o meu dinheiro, sobre o meu trabalho… está na hora de partilhar algumas dessas perguntas convosco. E com sorte, ainda respondo a algumas meus “piquenos” cuscos! Atentem.   SPOILER: Preparem-se porque vem aí coisas que não lembra a more »

Share