Lipa Rima Com Pipa

|by Ana Vougo

Coisas que me irritam – Parte 1

Misofonia: Pessoas que sofrem de Misofonia têm uma hipersensibilidade a sons específicos do quotidiano, os quais provocam reações extremas como irritabilidade, raiva e até pânico.

 

Confesso que não sou das pessoas mais calmas deste mundo e muito menos aquela que se aguenta muito tempo sem refilar sobre alguma coisa que me irrite.
E hoje, meus amigos, além de me irritar ser segunda-feira, estar frio, chover quando menos se espera e eu ter dormido mal, junta-se o facto de começar a manhã a ter de aturar aquilo que mais odeio no mundo: gente porca e que masca pastilha ou come de boca aberta!

Quem anda de transportes públicos sabe bem o que é ver o povinho a não respeitar filas de entrada para o autocarro ou ter de ouvir a senhora a guinchar “Jesus está contigo! Jesus ama-te! O Diabo anda por aí e cuidado…está mesmo ao vosso lado! Cuidado irmãos! O dia do juízo está mesmo a chegar!”. Claramente não bate bem da “tola”, mas até aí não me dói porque eu também não regulo muito bem e há que ter cuidado com os “telhados de vidro”. O que me dói mesmo são os “guinchos” da criatura enquanto profetiza a vinda do final dos tempos como se estivesse a vender Sapateira com 50% de desconto em cartão.
Mas ainda assim, isto não é das piores coisas que podem acontecer a quem tem de usar os transportes públicos todos os dias. Falo por mim, claro. A segunda pior coisa é ter de ir sentada ao lado de um alguém que fede a tabaco, vinho ou as duas coisas.
Até há uns anos era uma inocente e pensava que pronto, vá, está frio, a malta no Verão toma mais banhinhos. Mas não. No calor a coisa piora e não é pouco. Porque ao “alquinho” e ao tabaco junta-se o suor! Senhores, ninguém merece.
E esta gente anda por todo o lado! Da linha amarela à verde, do 774 ao 701…não falo do 742 porque isso é a imagem de marca daquela carreira. Mas senhores, isto parecem cogumelos. Há de todas as idades, raças, tamanhos…é A praga.
É que cheiram mesmo muito mal e eu temo que essas alminhas já nem deem por nada.
Creio piamente que já não dão pelo pivete que emanam. Para eles quem cheira mal sou eu. O meu perfume “Amour Amour” é que lhes deve incomodar gravemente. E eu, como pessoa educada, até gostava de pedir desculpas por tomar banho, lavar os dentes, não tresandar a álcool e tabaco. Só que não. Não peço desculpas. Porque o mal não sou eu. Nunca vi ninguém reclamar de um cheirinho bom. Já o contrário…
Mas como disse há pouco, para mim isto até nem é a pior coisa. Para mim a pior das coisas, o pesadelo número 1, é o ter de ouvir e ver alguém a comer como se o mundo fosse terminar. Mesmo à minha beira com a bocarra toda aberta e o bolo alimentar a ser apresentado a quem ali anda como o pequeno Simba foi apresentado ao mundo no filme do “Rei Leão”.
Convenhamos: comer de boca aberta é nojento. O som irrita-me até às entranhas. O ver a pessoínha a mastigar e no final ainda andar por ali com a língua como que a lavar os dentes deixa-me com instintos assassinos, não vos posso mentir.
Mas não é só o comer que me arranha os nervos. Não não não. Há também o roer as unhas e, a cereja no topo do bolo, e também o mais comum, mastigar a pastilha elástica como se não houvesse amanhã.
Um interminável “Nhac nhac nhac” de boca aberta que afasta até o mau-olhado. Sim, porque não há quem aguente olhar de frente para aquilo!
Olhem que eu não sei como é que não fico surda. Eu meto o meu mp3 no volume máximo e ainda assim eu ouço aquele ruído do demónio. E não me venham dizer que é psicológico que desato já a morder tal e qual como esta gente masca a pastilha!
Aquilo mexe comigo cá de uma maneira que se eu pudesse arrastava essa gente do mal pelos cabelos para fora do autocarro / metro.
Não sei se sou a única a sofrer deste drama com esta frequência. Não quero parecer convencida mas tenho a certeza que quando estão a entrar olham à volta e pensam lá para eles: “vou sentar-me ali ao pé daquela moça que cheira a bom perfume que eu sei que isto a enerva”.
Juro que acho que tenho um íman que atrai estas pessoas. E se dúvidas houverem, o meu homem é testemunha que onde eu estou aparece sempre algum satanás destes para me perseguir!
Num tom mais sério, andava já há algum tempo a pensar se isto era só pancada minha, mania da perseguição ou se havia alguma explicação médica para a coisa. E foi assim que descobri a Misofonia que vos expliquei no início deste post.
A Misofonia não é assim tão incomum e atinge cada vez mais pessoas. Se o Google estiver certo, isto não é mesmo nada raro. Há fóruns criados propositadamente para as pessoas falarem disto, para darem conselhos de como ultrapassar isto. Conselhos e testemunhos na primeira pessoa. Pessoas que sofrem disto. Algumas deixaram de sair à rua porque os sons mais banais as incomodam. Pessoas que sofrem de um problema que lhes limita a forma como vivem. Portanto, a brincar a brincar, alerto para um problema que é verdadeiro e que afeta muita gente. Eu incluída.
Espero, muito honestamente, ajudar de alguma forma quem se identificar com estas situações. Ajudar quem passa pelo mesmo a perceber que tudo tem uma explicação e uma solução. Que pelo menos já se procura para este problema uma solução.
E assim termino este “coisas que me irritam- parte 1”. Volto em breve com a segunda parte.

P.S.- Tenho mesmo que terminar de tirar a carta de condução! Pelo menos a parte de levar com de tudo um pouco nos transportes públicos resolvia-se logo!

 

 

7 Março, 2016

 

[vc_column][vc_facebook][/vc_column]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com