Lipa Rima Com Pipa

|by Ana Vougo

Não te esqueças disto.

Lembras-te do teu primeiro beijo? Do teu primeiro amor, do momento em que sabes que encontraste a tua metade da laranja?

Lembras-te do que sentiste? Sabes com quem foi, onde, que idade tinhas e como te soube?

Lembras-te do teu primeiro desgosto de amor?

Lembras-te do último?

Lembras-te de sentires que o mundo te escapava dos pés a cada batida do teu coração?

Lembras-te das “borboletas no estômago” do inicio do amor?

Lembras-te do nó no estômago a cada vez que piscas os olhos e abanas a cabeça, em jeito de quem quer que tudo se apague da tua memória?

Lembras-te dos risos, dos sorrisos, das mãos dadas, dos segredos, dos planos de se amarem para sempre?

Lembras-te do nome dos filhos que haviam de chegar depois do casamento de princesa que tanto querias ter com ele?

Lembras-te do momento em que trocaram o primeiro “amo-te”?

Lembras-te de como todas essas recordações te doem como se te estivessem a queimar a pele?

Lembras-te de chorares tanto a noite toda que acordavas no dia seguinte cansada, arrasada, com os olhos inchados e toda tu eras feita de bocados? Lembras-te de seres uma sombra de ti mesma?

Lembras-te das muitas fotos que tiraram e que hoje te parece que foram tiradas há mais de uma vida atrás?

Lembras-te do pesadelo que é estares quieta e de repente a vossa música passar na rádio? Passa tantas vezes que às tantas tu pensas que a rádio está contra ti, que é impossível alguém ter tanta má sorte que de cada vez que ligas a Rádio Comercial mais parece que os locutores sabem da tua vida e te estão a esbofetear a cada compasso da música que era só vossa? Lembras-te dessa sensação?

O mundo parece estar virado do avesso. O teu avesso é visível. O teu coração exposto, dorido, partido. Lembras-te dessa dor? Lembras-te de sentires que era como quando queimavas um dedo ao cozinhar? Porque dói e arde e tu não consegues evitar o ardor? Porque o teu coração mais parece que foi banhado em álcool e depois ele lhe lançou fogo?

Lembras-te?

Lembras-te de como perdeste a vontade de comer, de sair, de tomar banho, de lavar os dentes?

E lembras-te de como o telemóvel não toca, as horas não passam e os dias parecem meses e as noites anos?

Lembras-te de como eram felizes, de como partilhavam as batatas fritas do McDonald´s e o ice tea? Dos infinitos beijos que trocavam?

Lembras-te como sempre lhe dizias: “não fumes tanto que isso faz-te mal” e dos “liga-me quando chegares a casa para eu saber que chegaste bem” ou o famoso “desliga tu..não, desliga tu…Ok, em 3,2,1…ah ah ah, não desligaste!”, lembras-te?

Agora os planos que fizeram desapareceram e tu tens de avançar. Eventualmente. Vais ter de virar a página. Mas não hoje porque ainda te lembras.

“A vida continua, a dor vai passar, sê forte, estou aqui se precisares, qualquer coisa liga. Tenho um amigo que está morto para te conhecer. Isso passa-te com uma “queca”. Lembras-te destas merdas todas que te diziam quando tu só querias desaparecer porque te sentias mais só do que sozinha?

Quantas vezes ouviste isso?

Lembras-te de quando namoravas e mais parecia que tinhas um íman, pois todos os homens te olhavam e te queriam? Agora olhas à tua volta e não vês ninguém a olhar para ti, ninguém mete conversa contigo, ninguém te elogia. Mas lembras-te quando isso te acontecia?

Lembras-te de olhar bem fundo nos olhos dele e pensares para ti que devias tirar uma fotografia mental desse momento pois esse momento tinha que ser recordado para sempre?

Lembras-te da primeira vez que fizeram amor? E da última?

Lembras-te dos ciúmes dele quando alguém olhava para ti? Lembraste daquela melhor amiga dele que nunca o largava? Sim, aquela que queria ser a namorada dele.

Lembras-te de como tu é que eras a paranóica e a embirrante? De como discutiam e amuavam depois?

Lembraste de dizeres tudo o que sentias sem qualquer filtro e de no fim te arrependeres porque ele nunca mais se vai esquecer que lhe disseste que não confias nele?

Lembras-te quando lhe mexeste pela primeira vez no telemóvel e de não sossegares enquanto não foste investigar o e-mail dele e as mensagens privadas no Face?

Lembras-te daquela tua amiga que te disse que quem procura acha? Pois tu achaste. Achaste que estavas a viver um pesadelo. Achaste que não ias conseguir respirar nunca mais, tamanho o aperto no peito.

Primeiro negaste. Depois perguntaste-te no que terias errado, no que ela tem que tu não tens, no que ela lhe dá que tu não dás…no que ele vê nela, se valia a pena ele destruir e deitar fora tudo o que vocês tinham. Lembras-te que não paravas de pensar nessas coisas e de como isso ainda te magoava mais e mais?

De repente o perfume dele cheira a inferno, a pele dele parecem escamas, o olhar dele virou um icebergue.

Está tudo tão diferente. O coração bate rápido. Como vais sobreviver a isto? Como vais viver no depois dele?

Lembras-te de como fechar os olhos te doía? Lembras-te de como ter os olhos abertos ainda te doía mais porque a luz te incomodava porque para ti a vida era como viver a preto e cinzento?

Lembras-te de quando usavas roupa com cor e agora pareces um desenho de ti mesma? Sem cor.

Lembras-te de como escrever se tornou numa terapia sem dares por isso?

Lembras-te que o tempo parou e que tudo o que tornava a tua vida bela te foi tirado em poucos minutos?

Lembras-te da primeira vez que o viste depois de ele te partir o coração e te deixar a alma vazia e nua?

Lembras-te de pensares que ele era o teu grande amor e que não irias conseguir superar? Que a tua vida perdeu o sentido e que não há mais por que lutar, por que rir ou viver?

Lembras-te de dizeres que irias esperar por ele toda a vida?

Lembras-te?

Lembras-te de pensares que o tempo se iria encarregar de o encher de saudades e de arrependimento e que depois ele viria rastejando até ti e tu lá te farias de difícil por 2 minutos e depois disso viveriam felizes para sempre como antes sonhavam?

Lembras-te?

Lembras-te de como tudo isso não aconteceu?

Lembras-te?

Lembras-te?

Lembra-te.

Lembras-te que um dia acordaste e ia doendo menos? Lembras-te como a vida afinal continuou, de como o teu mundo não acabou e que depois dele descobriste um outro amor, que descobriste que já não eras mais menina mas sim uma linda mulher?

Lembras-te como tudo o que viveste te tornou mais forte, mais alerta e mais focada em ti e no que queres para a tua vida?

Lembras-te de antes ser tudo confuso, difícil e da comunicação ser feita só de discussões? Lembras-te como percebeste que isso não é o que queres para ti?

Lembras-te de quando descobriste que és forte, linda, inteligente e feliz?

Lembras-te?

Lembra-te.

Sempre.

Lembra-te.

 

…se te esqueceres lembra-te de te lembrares. Mas lembra-te.

 

23 Janeiro, 2017

[vc_column][vc_facebook][/vc_column]

 

 

[sociallocker] https://www.facebook.com/liparimacompipa23/ [/sociallocker]

 

2 thoughts on “Não te esqueças disto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com